OUÇA A RADIO
CAISM desenvolve ações pelo Março Lilás em Timon
07/03/2018 14:02 em Música

O Centro de Assistência Integrada à Saúde da Mulher (CAISM) promove durante todo esse mês a Campanha Março Lilás. Uma ação inovadora que trata da campanha de Conscientização e Combate ao Câncer de Colo de Útero. A mobilização visa informar e estimular a população feminina para os cuidados de prevenção contra o câncer de colo uterino, alertando para os principais sinais e sintomas aos quais as mulheres devem estar atentas.

Entre as atividades desenvolvidas pelo CAISM estão: palestras, sessão de beleza e lanche. “Nossa proposta é alertar sobre a prevenção de um câncer que ainda acomete muitas mulheres por falta de informação. O câncer de colo de útero ocupa o primeiro lugar nas causas de câncer e de morte por câncer entre as mulheres, estando à frente, inclusive, do câncer de mama. Apesar desses dados desoladores, esse é um dos cânceres com maior potencial de prevenção”, explicou a diretora do CAISM, Maria José (MAZÉ).

O Secretário Municipal de Saúde, Marcio Sá, elogiou a ação e reforçou a importância de trabalhar a prevenção no município. “Ações como esta são bastante importantes, os nossos profissionais estão de parabéns por esta iniciativa que promove a conscientização de que desde cedo é necessário se prevenir. Neste caso do câncer uterino, por exemplo, a realização de exames periódicos pode diagnosticar precocemente a doença que está associada à infecção pelo vírus HPV, uma infecção que pode ser evitada, acompanhada e tratada ainda em fases iniciais”, disse o gestor.                                                                                  

O câncer de colo uterino é o segundo tipo de câncer mais frequente entre as mulheres de todo o mundo e também no Brasil. Sua maior incidência se dá em mulheres entre 45 e 49 anos de idade e estima-se que o rastreamento sistemático e o tratamento de lesões precursoras possam reduzir a mortalidade pela doença em até 80%. O principal fator de risco é a infecção pelo Papiloma Vírus Humano (HPV) e já foram desenvolvidas vacinas contra os principais tipos oncogênicos do vírus. A redução da mortalidade decorrente dessa doença depende da adoção de medidas de prevenção primária, de diagnóstico e tratamento de lesões precursoras, bem como do diagnóstico e tratamento adequados das lesões invasivas.

As medidas de prevenção são simples. Toda mulher com vida sexual ativa ou a partir dos 25 anos deve fazer o exame preventivo, também chamado de Papanicolaou, todos os anos. É através desse exame que inflamações e alterações iniciais podem ser descobertas e tratadas logo, antes de evoluírem para  doença agressiva e que pode levar a morte.                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 Da Assessoria de Comunicação da SEMS

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!